domingo, 15 de dezembro de 2013

Verde sobre Azul



A imagem ilustra aquele que, para mim, foi o momento alto do jogo de ontem (calma que já lá vamos ao momento principal): a recepção de Carrillo a um cruzamento largo de Capel, antecedendo uma grande assistência para André Martins poder sentenciar a partida. 2-0. A partir dali foi esperar até ao final, com um Sporting descontraído (por vezes demasiado) à espera de um Belenenses sem grande vontade em participar activamente no jogo. Este lance também demonstra que Carrillo é dos melhores jogadores que o Sporting tem e que, tecnicamente (a recepção, a cabeça levantada e a assistência) está muito acima dos seus concorrentes directos ao lugar, Wilson e Capel.

O jogo foi tranquilo mas tinha (e teve, no meu entender) tudo para não ser fácil. O Belenenses, abdicando do seu meio-campo ou pelo menos proibindo-o de ter bola nos pés, adoptou uma táctica complicada: bloco muito baixo, demora na saída da bola, pontapé para frente, tentando encontrar a sua referência Diawara, no alto do seu 1,92m, obrigando a um desgaste brutal nas bolas dividas que, quase sempre eram ganhas pelo avançado azul. O facto de terem conquistado alguns cantos intranquilizava Alvalade, preocupados com a eficácia e poder que o Belém tem nesse tipo de lances.

O Sporting demorava a entrar dentro da área, e só o futebol lateralizado preconizado por Cédric (que grande, grande jogo) e Capel, num lado, e Jefferson (sempre bem) e Carrillo (melhor exibição da época), no outro, é que produzia algum perigo e caracterizava a superioridade leonina.

Até que chegou o minuto 27. Mais uma grande descida e jogada entre Capel e Cédric e... penalty. Adrien marca (sempre para o mesmo lado) e o 1-0 já lá estava. Só que o lance parece ser ilegal. No estádio (e estou na Superior Sul) pareceu falta. E acho que isso é indiscutível. O defesa do Belém procura deliberadamente afastar Cédric da bola (que está jogável, dentro da área). A dúvida que pairou foi que: "mas a falta foi cometida fora do campo? Isso quer dizer que não foi na área? O que é que se marca numa situação destas? Não se marca nada porque é fora do campo, só se penalizando disciplinarmente o infractor?"
Com o meu companheiro de bancada, promovemos um breve exercício mental. Então, numa jogada na linha lateral, num "um contra um", o extremo na finta, tenta contornar o adversário, por fora do campo e é placado aí mesmo, o que é que o árbitro, normalmente, marca? Falta! Ali, onde a bola está jogável. Ou não? (alguém que me elucide, a sério, é pura ignorância). Pareceu-nos, na altura, que a jogada de Cédric parece-me parecida com esta situação que tentei visualizar. No entanto, parece que no caso de Cédric a falta parece ocorrer fora da área (embora o jogador seja projectado num espaço já dentro da área (mas fora do campo. Sim, eu sei que isto é confuso). 

É duvidoso. E isso já me deixa incomodado, pois as nossas vitórias não podem ter origem numa dúvida. E esta, apesar do domínio, superioridade e justiça, parece nascer de uma dúvida.

Até ao intervalo o Sporting tem o seu melhor momento no jogo (que se prolonga até aos 60 minutos). Com mais jogo interior (que tinha faltado até aí) mas mantendo a dinâmica nas alas, cria-se uma oportunidade num livre de Jefferson, um lance de Montero na cara do guarda-redes azul (claro agarrão ao colombiano [mas não uma gravata desse país, felizmente] e consequente expulsão do defesa - por assinalar) e um falhanço de Montero, após grande jogada de Capel e Cédric.

A 2ª parte começa como começou este post, com o lance de génio de Carrillo e o 2º golo leonino, aos pés de um grande André Martins. Até ao final, Jardim mexeu bem na equipa, mantendo a motivação em Wilson e Slimani (intervenientes muito directos no 3º golo), valorizando a exibição de Carrillo (ficou em campo os 90 minutos) e promovendo mais um regresso, o de Vítor, deixando Alvalade prestar uma merecida ovação a André Martins. Uma pequena nota para a forma excelente como Leonardo Jardim tem gerido os 3 alas leoninos, mantendo os seus níveis motivacionais em alta e fazendo-os ver a importância que cada um tem num determinado momento de um jogo. 

A solidez defensiva (Rojo fez um grande jogo) permite que o Sporting se coloque no ataque com cada vez mais unidades. A capacidade física dos jogadores, a sua entrega e compromisso perante o jogo e clube fornece aos adeptos uma tranquilidade e confiança há muito longe de Alvalade. Vê-se que há muito mais do jogar mais um jogo. Os jogadores parecem-me realizados. Algo que vejo bem sintetizado nesta frase do nosso treinador:

"Os jogadores têm auto-estima alta pelos resultados que têm conseguido e pelas boas exibições que têm rubricado, mas também sabem que este bom trabalho nasce da humildade, do espírito de grupo e da capacidade de responder às adversidades." - Leonardo Jardim, in Maisfutebol, 14/12/2013.

O Sporting está bem e recomenda-se. Para onde vai e até quando, só eles saberão. Por mim, é ir ganhando e dizer ao 4º e 5º lugar que o 3º lugar está difícil para eles. E, porque não, ir colocando uma pressão extra sobre Benfica e Porto que, pouco habituados à nossa presença na liderança, poderão sentir mais dificuldades nos seus jogos.


 Sábado há mais (uma vitória, espero)!

ps: parece que a explicação para o lance do penalty está aqui. Como a falta é fora do campo,tinha de ser marcado pontapé de baliza e dado amarelo ao jogador do Belém. Afinal pode-se fazer faltas sem ser prejudicado, desde que estas sejam fora do campo. Fomos beneficiados.

12 comentários:

Mike Portugal disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Mike Portugal disse...

Cantinho,

Imagina esta situação:
A bola está no meio-campo a ser jogada e há 2 jogadores fora de campo (não interessa onde) que se agridem mutuamente.
Resultado: São os 2 expulsos e o jogo é recomeçado com bola ao solo, no sitio onde ela estava quando o jogo foi parado pelo árbitro.

Transpondo isto para a situação do Cedric, se o árbitro considerou a falta ainda dentro de campo e pensou que foi cometida na linha da área (que é considerado como se fosse lá dentro) então a decisão de marcar penalty faz sentido. Se o árbitro tivesse visto que a falta foi cometida fora da área, quando Cedric começou a correr, então teríamos a nosso fazer um livre direto, estilo canto curto.

Se o árbitro interpretasse que a falta foi cometida fora de campo, seria bola ao solo onde quer que ela estivesse quando ele parou o jogo. E seria, em todas as situações que descrevi, amarelo para o jogador do Belenenses.

Anónimo disse...

Só não percebo uma coisa. Se "existem" 2 penáltis assinalados a favor do Sporting, um mal outro bem, como é que o Sporting foi beneficiado? Penso que não podemos ser mais papistas que o papa...SL

PS- Ainda para mais, no penálti que existe,realmente, a favor do Sporting, o jogador faltoso dos azuis teria que ser expulso e o Belenenses ficaria a jogar com 10.

Anónimo disse...

Perdão, o que queria dizer é que beneficiamos de um penálti inexistente e fomos prejudicados por não ser assinalado um penálti existente a nosso favor. O resto do raciocínio está correcto. SL

Cantinho do Morais disse...

Mike,

Obrigado pela explicação.
No entanto, a situação que me dizes para imaginar não se pode transpor para o caso do Cédric. Cédric e o defesa azul estavam a disputar aquela bola e não num sítio qualquer.
Agora, face às regras espero que o árbitro tenha visto a falta dentro da área e do campo.
Agora eu acho que um jogador, tal como exemplo que dei no post, tiver a disputar um lance, mas que vai por fora do campo para contornar o adversário, se for travado, tem de ser assinalada falta. Não faz sentido de outra maneira. Mas isto é para mim (e não para a lei).

Anônimo,

Eu estava a referir-me ao lance da penalidade assinalada a favor do Sporting. Se a lei diz que fora da área não há faltas, então fomos beneficiados. Ainda mais esse lance deu o 1-0, sendo mais importante por isso.

Anónimo disse...

Após ler os "especialistas" do link fornecido ainda fiquei mais confuso. Não é que cada um diz coisas diferentes e propõe soluções diferentes para aquela situação?
SL

Koba disse...

Cantinho,

Acabo de ver um teste feito pela FPF a árbitros em 14 de Fevereiro de 2013.

Uma das perguntas é a seguinte: "um jogador, de posse da bola junto à linha lateral e perto da linha de meio-campo, faz uma finta a um adversário, adiantando a bola e tentando ultrapassá-lo por fora do terreno de jogo e aí é empurrado pelo adversário, o suficiente para ser ultrapassado na corrida para a bola. O árbitro assistente, em excelente posição, assinalou a infração. O que deve fazer o árbitro?"

Trata-se de um caso análogo ao do Cedric, admitindo que a falta sobre o Cedric foi fora do campo (não concordo sequer que tenha sido falta, mas vamos admitir que foi e que foi feita fora do campo).

Nesse mesmo teste da FPF, a resposta indicada como correta é a seguinte:

"O árbitro deve interromper o jogo, advertir o jogador infrator por sair do terreno de jogo para empurrar o adversário e punir a sua equipa com um pontapé livre indireto no local em que a bola se encontrava no momento da interrupção".

Ou seja, nada do que diz o Pedro Henriques ou o Leirós: seria livre indireto.

Um abraço

Cantinho do Morais disse...

Koba,

Obrigado. Era mesmo esse tipo de situação que foi questionada nesse exercício da FPF que me lembrei lá no estádio e tentei colocar no post.
Ok, então seria Livre Indirecto.

Vê esta imagem:
http://www.record.xl.pt/Futebol/Nacional/1a_liga/Sporting/interior_premium.aspx?content_id=858667

Ali seria a falta (onde está a bola), ou mais à frente, pois quando Cédric cai (fora do terreno) ela já está mais perto da pequena área. Já agora, pela foto, não achas que é falta? É que o jogador do Belém não está nada preocupado em ir ao encontro da bola, mas sim de afastar o Cédric da mesma.

grande abraço!

Koba disse...

Anónimo/Cantinho,

O teste a que aludi no meu anterior comentário comprova uma coisa: em Portugal, até os comentadores de arbitragem são fraquinhos.

Excluo, neste caso, o Coroado porque não levanta a possibilidade da falta fora de campo. Os outros dois, simplesmente, não conhecem a regra a que fiz referência.

Eu também não conhecia, confesso. Mas não fui pago para arbitrar nem sou pago para comentar arbitragens...

Koba disse...

Já agora, Cantinho, acho que é uma carga de ombro normal e que o Cedric já vai em desequilíbrio antes de o defesa do Belém lhe tocar. Mas aceito a falta. E aceito que o árbitro tenha marcado penalty.

Permite-me, aliás, citar os grandes moralistas do futebol nacional:
"Sejamos sérios. Há lances de dúvida no jogo? Claro que há, como há em todos os jogos com a intensidade em que decorreu o jogo do passado sábado. Os lances duvidosos repartiram-se, mas os reparos e acusações limitaram-se a apontar, de forma parcial, prejuízos apenas para o [introduzir clube em questão]." Inspirado no comunicado do Benfica de 11.11.2013.

Cantinho do Morais disse...

Koba,

os árbitros e comentadores (pagos) são, no fundo, maus profissionais. E isso é que é grave...

abraço!

Anónimo disse...

Sábado não chove em Lisboa,segundo a previsão meteorológica. Mais uma razão para no Sábado enchermos Alvalade. Os bilhetes para sócios sem Gamebox, custam apenas 7 euros, para qualquer lugar do Estádio! Vamos encher Alvalade! S. Leoninas