segunda-feira, 13 de outubro de 2014

Anatomia de um pasquim

Nos últimos dias tem-se vindo a assistir aquilo que parece (veremos lá mais para a frente, por exemplo, no Euro 2016) uma renovação da Selecção Nacional A. A entrada de Fernando Santos (alguém por quem tenho alguma admiração devido ao bom trabalho que fez no Sporting, num momento difícil, plantel limitado, e pela maneira injusta com que saiu), trouxe novos (e velhos) elementos a uma Selecção que todos sempre gostaram de afirmar que detém um "fraco leque de opções". Algo que eu não concordo.
Nesta nova fase da Selecção, salta a vista a presença maioritária de jogadores do Sporting Clube de Portugal (6 nos A e 5 nos sub-21). Mais do que discutir a qualidade e peso desses jogadores nas respectivas selecções, uma coisa é certa: eles estão lá.
Claro que isso não é do agrado de todos nem é bem aceite. Porto e Benfica, estou certo, também gostariam de ter lá mais jogadores. Só que existe um handicap: até ao momento, para se jogar na Selecção Nacional ainda tem de se ser português. Pormenores que, um dia, a bem da nação, serão alterados. 
E é nesta demanda na tentativa de equilibrar o número de elementos dos 3 grandes que, normalmente, entram os órgãos "oficiais" das forças do Regime, para acalmar as hostes e exaltar o público menos especializado (logo mais obediente).
O que se segue é o retrato de uma pequena notícia do Correio da Manhã (12/10/2014), onde, em cerca de 20 linhas (que acredito terem sido escritas por um só "jornalista"), se observam os diferentes estados (obrigatórios) normalmente patentes nos órgãos de propaganda: Exaltação do Líder; Justificação das acções ou futuras acções desse líder; Descer as expectativas porque as acções podem, na verdade, não se vir a realizar;

Sim, eu sei que isto parece uma autêntica montanha russa. Agarra-se bem.

Bem, por onde começar?
É preciso mesmo fazer algum comentário? O Benfica, esta época, entre regressos de empréstimos e contratações, integrou nos seus quadros 21 jogadores. Desses, 6 são portugueses. Parece-me que alguém anda a fugir à "política pretendida por LFV"... Desses 6, 1 é o Candeias (já foi emprestado à II liga alemã), outros 2 são o Nelson Oliveira e o Pizzi (cheios de oportunidades de jogar, até cansa) e os restantes são Bebé (até destila com tanto tempo de jogo), Sílvio (emprestado pelo At. Madrid - lesionado) e, o único devidamente usado, Eliseu (que está na Selecção A e tem sido um verdadeiro reforço do SLB).

Continuando.

O porquê de Raphael Guerreiro? Aí vai a justificação: "foi uma das estrelas da selecção"; "exibições consistentes" no seu clube (apesar do 14º lugar na Liga francesa) e na selecção de sub-21. Aqui, apesar do pasquim quer elevar o seu estatuto de indiscutível a essencial nos sub-21, uma leitura menos atenta levaria a considerar que Guerreiro fez os 9 jogos disputados. Não, não fez. Dos 7 já feitos na qualificação para o Euro 2015, Raphael fez 5. É excelente. Mas aquela menção de "soma nove vitórias em nove jogos disputados" dá a entender que esse é o registo de Raphael e não da selecção. Porquê que não se fez menção aos jogos disputados (e rácio correspondente) Guerreiro no Lorient, seu clube? Aí sim, fez 9 jogos (todos até agora). Somente teve foi 3 vitórias e 5 derrotas. Talvez não ficasse tão bem no que se pretende com esta notícia.

Adiante.
De regresso à esquizofrenia e propaganda. 
Duas falácias em 3 linhas: Benfica pretende investir em jovens portugueses (recordo que, dos 6 contratados em 21, o único que joga [Eliseu] é tudo menos jovem); rigor financeiro da gestão de LFV. A sério??
Mas repare-se que há noção, mesmo face ao público-alvo, que aquilo que se escreve tem contradições com a realidade. Daí vir logo a justificação: objectivo adiado por esta época, pois quer-se vencer o bi-campeonato e porque o parceiro (desculpem, rival) Porto reforçou-se muito. Depois o melhor. O clube que quer apostar na formação (de quem?) e em portugueses ("a base da política pretendida por LFV" - ver acima), teve de vender André Gomes e emprestar Cancelo e Bernardo Silva (aqui o CM esqueceu-se do outro Rei Mago, o Ivan Cavaleiro, estranho). Isto tudo para ser campeão. 
Vamos lá recapitular: 
- o LFV/Benfica tem uma política - reforçar o plantel com jovens jogadores portugueses; (6 portugueses em 21 ingressos nos quadros do clube; só o jovem Eliseu é utilizado);
- o LFV/Benfica pretende investir em jovens portugueses e da formação;
- mas como quer ser bi-campeão, "vendeu" André Gomes e "emprestou" Cancelo e Bernardo Silva (mais o 3º Rei Mago, o Ivan Cavaleiro);

Não admira que até o mais dos acólitos dos adeptos do SLB possa ficar confuso.

 

Por fim,

Bem Guerreiro, desculpa aí, mas talvez o cumprimento da "política pretendida por LFV de reforçar o plantel com mais jogadores portugueses" não passe por ti. Parece que JJ aprecia as tuas qualidades, mas gosta de jogadores mais altos. Tu só tens 1,70m. Não és tipo Maxi Pereira que tem para aí...


1,73m de altura!!! É que isso de 3cm de diferença, na altura de chegar com os pitons ao adversário ou para fazer lançamentos da linha lateral a levantar os pés do chão, é determinante.


À pergunta ontem mais vezes repetida e escutada pela net ("Que é isso, CM TV?"), Cristiano, aqui vão alguns elementos para a resposta (embora a tua tenha sido a melhor de todas).

9 comentários:

André Mendonça disse...

Perfeito! Excelente trabalho.

SL

PM disse...

Muito bom Cantinho!!

Koba disse...

Maravilhoso...

Quase ao nível do "nosso" Jardim que, na mesma entrevista ao Jogo, começa por dizer que os adversários não se conseguiram reforçar e perderam jogadores importantes para, mais à frente, dizer que no Benfica só saíram 3 titulares e que "foram contratados elementos que já mostraram que podem colmatar as saídas".

Cantinho do Morais disse...

Koba,

também li isso do Jardim. Enfim... Dá a ideia que foi em jejum para a entrevista e, depois, lá comeu um croissant com caviar e Don Perignon (para aquelas bandas deve ser assim), e lá voltou à terra.
O Porto teve muitas dificuldades em contratar (vê lá o número de empréstimos!! é mesmo à clube pequeno...) e o Benfica também. Só em 2 trincos foram 16M de euros.

Mestre de Cerimónias disse...

Excelente, Cantinho.

Vieira quer ter mais jogadores portugueses no plantel, mas numa ótica toda retorcida. O Benfica devia contribuir para lançar jogadores portugueses que pudessem ser aproveitados pela seleção (e na formação deles têm lá muitos que, trabalhados, podem vir a dar bons jogadores), e não o contrário.

Estar a comprar jogadores já internacionais de pouco serve à melhoria da qualidade das seleções.

Um abraço.

Mike Portugal disse...

loooooooooooool

Muito bom post, Cantinho.

Cantinho do Morais disse...

Mestre,

Mas eu não acho mal a contratação de jogadores (neste caso portugueses) com idades mais avançadas. Eliseu e, aparentemente, Raphael Guerreiro são duas boas opções para o Benfica (até para o Sporting). Jogam numa posição (Def esquerdo) deficitária em ambas as formações (tanto na equipa principal como na formação).

Agora não me venham com tretas de que o paladino Vieira quer ter jogadores portugueses no plantel porque isso é uma tanga escrita e dita há mais de 10 anos!
Ainda mais porque todos os mandatos e acções vieiristas confirmam exactamente o oposto.

A formação do Benfica tem sempre teve jogadores bons e, alguns, excelentes. Neste momento, o expoente máximo é Bernardo Silva (que é um jogador brutal, de grande qualidade). Só que o Benfica não aposta neles. É uma opção legítima. Não nos vendam é o contrário.

Anónimo disse...

MUITO BOM! VOU COMEÇAR A SEGUIR O TEU BLOG. OBRIGADO!

RG disse...

Cantinho,

Habitual no grupo Cofina!