domingo, 22 de setembro de 2013

"Não vi"


"Não vi" um resultado injusto.

"Não vi" um Sporting superior ao Rio Ave.

"Não vi" 2 pontos perdidos.

"Não vi" o Sporting a lutar pelos 3 pontos. Lutou por aquele que teve, tal como o Rio Ave.

"Não vi" uma equipa pressionante (que tanto nos caracterizou nos primeiros jogos) unida, junta, determinada, concentrada, dinâmica e aguerrida. Os processos (defensivos e ofensivos) foram sempre lentos e previsíveis. A equipa esteve sempre muito esticada, sendo difícil chegar com superioridade e com a bola bem controlada aos espaços ofensivos. E pareceu-me sempre cansada. Foi pernas ou cabeça?

"Não vi" uma defesa do Rui Patrício. Do Salin, só vi uma defesa nos descontos, após uma rara oportunidade de golo do Sporting (nascida e criada, inteiramente, por Montero - que grande jogador!).

"Não vi" um Jefferson tranquilo após receber um cartão amarelo, por uma falta igual a tantas outras. A partir daí desconcentrou-se e fez um jogo muito abaixo das suas qualidades.

"Não vi" um bom jogo de Dier. Um pouco à imagem de Jefferson. Após um erro numa saída de bola que podia ter dado o empate ao Rio Ave (onde Jefferson esteve muito mal, após ter ganho o lance imediatamente anterior ao remate de Hassan), perdeu a pouca confiança que tinha. Deixou de sair a jogar, bateu sempre longo (e mal) para Wilson Eduardo e acumulou erros de leitura dos lances ofensivos do Rio Ave (o golo de Tarantini é o expoente máximo desta avaliação). Por mim, pela qualidade que tem (mas ainda é tão novo...) deverá manter-se a titular, também como prova de confiança.

"Não vi" 6 faltas do Rio Ave. Vi mais, muito mais (dentro e fora da área). Então o lance que lesiona o Capel...

"Não vi" falta no lance que dá o golo ao Rio Ave (mas talvez eu esteja longe).

"Não vi" surpresa no golo do Rio Ave. Adivinhava-se desde do momento que Wilson Eduardo, brilhantemente, aproveitou uma dádiva dos céus.

"Não vi" qual a vantagem de ter entrado Rinaudo. Qualidade de passe, se até aí era baixa, passou para zero. Creio que naquele momento, mesmo saindo Wilson, podia ter entrado Vítor, para se garantir mais bola, mais progressão ofensiva (com bola), melhor critério e qualidade de passe e, de igual modo, fornecendo uma maior proximidade com Adrien e André Martins, que tiveram sempre muito distantes entre si. Tinha que se mexer, sim, mas (talvez) com outras peças.

"Não vi" um banco de suplentes que possa alterar o rumo de um jogo. Bruma faz falta (é inegável) e, quem sabe, talvez Labyad e Jeffren (há poucas soluções - haja compromisso e responsabilidade por parte de TODOS os intervenientes nesse processo e talvez se possa melhorar um pouco o plantel).

"Não vi" por que motivo a crença (embora mais emocional do que racional), a velocidade e superioridade demonstrada nos últimos 15 minutos esteve ausente desde dos 25 minutos de jogo.

"Não vi" 32 mil espectadores em Alvalade. Vi mais. Da mesma forma que contínuo a ver crianças a passar por cima e por debaixo dos torniquetes, embora ocupem uma cadeira. Bilhetes vendidos? Talvez esses cerca de 32 mil espectadores. Agora assistentes, tiveram mais.

"Não vi" (nunca vi) um candidato ao título. Vejo uma equipa jovem e com um nível de maturidade ainda baixo. Este jogo iniciou um ciclo de jogos de elevado grau de dificuldade (até os do Setúbal e Marítimo em casa, pela forma que jogam, ou não deixam jogar) que culmina com a viagem a Guimarães. Não começámos da melhor forma. Mas se, até aqui, a equipa técnica, jogadores e adeptos, demostraram qualidade, vontade e motivação, então não há motivo para não se pensar que o processo evolutivo (que se vê) continuará (com sucesso) o seu percurso.

8 comentários:

Anónimo disse...

Não gostei da postura do nosso treinador minimizando a não marcação dum penalti claríssimo, estando Xistra de frente para o lance. Em vez de 3 pontos só fizemos 1 e isso pode fazer a diferença. Não quero acreditar que está a regressar aquela filosofia de que somos diferentes, temos muito fair play, etc. Os árbitros abusam logo.
Não sei o que o nosso treinador vê no André Martins. É fraquíssimo a defender, talvez por ser muito pequenino e o futebol que se pratica em Portugal não dá para esse tipo de jogadores. Está sempre a cair. Não lhe tiro o mérito de ser um jogador habilidoso, mas isso é muito pouco, pois precisamos dum meio campo musculado.
DUARTE

Rui Coelho disse...

Concordo, no essencial, com o que escreve a propósito do jogo de ontem. Sim, iniciámos um ciclo difícil de jogos mas o percurso até aqui julgo que nos deixa margem para algum optimismo. A última época foi miserável e é natural que este início nos deixe entusiasmados... o passado recente é tão negro que uma série de duas vitórias chega para nos deixar assim. Mas na verdade temos que manter os pés no chão e o jogo com o Rio Ave terá tido esse efeito. Foi a exibição mais fraca da época mas para que o entusiasmo dos adeptos (fundamental para ajudar a equipa a crescer), para que este entusiasmo não esmoreça é importante regressar às boas exibições e bons resultados já no próximo jogo contra o nosso rival directo na busca do objectivo mais realista para esta época: o terceiro lugar e o acesso ao play-off da Champions. A nossa história centenária teria que fazer de nós candidatos ao título mas com algum realismo teremos que nos centrar pelo menos para já na procura do terceiro lugar final. Saudações leoninas.

Pedro Morais disse...

André Martins fraquíssimo...ao que isto chegou. Empata-se um jogo e ninguém presta.

JPDB disse...

Cantinho,

Efectivamente o pormenor da entrada do Rinaudo parece ter sido um erro.

No Algarve, já achei o meio-campo do Sporting um pouco "perdido".

Talvez fosse bom experimentar um 4-4-2, em 4-2-3-1 ou 4-1-3-2. Com Wilson (mais eficaz e eficiente para já que Carrillo e Capel) e Montero na frente. Um miolo com André Martins-Adrien-Vítor-William, em que o Vítor seria o 10, e Adrien e André Martins seriam interiores.

Na defesa, mantinha os 4. Manter o Eric é essencial, dar-lhe confiança. Não foi por ele que o Sporting ontem perdeu pontos.

Não esmorecer é a palavra de ordem. Se tivesse tempo para tal, comprava já a minha ida a Braga.

Cantinho do Morais disse...

Anônimo,

Não sei o que é isso de "meio campo musculado". Se Rinaudo é sinónimo de músculo, então não quero.
E não partilho a mesma opinião relativamente ao André Martins. E, mesmo não fazendo um bom jogo, até foi a defender (dobras aos colegas, pressão, raramente perdeu uma bola) que esteve melhor.

Rui Coelho,

3º lugar terá de ser o objectivo. Estar na Europa onde se ganha projecção e algum equilibrio financeiro é um pilar de estabilidade e de motivação na contratação e manutenção dos melhores jogadores. Mas atenção. O Braga tem uma equipa mais experiente e não está a começar do zero.

Pedro,

concordo, o pessimismo tem de ficar de fora.

JPDB,

Essa táctica e modelo pode ser uma opção. Eu ontem projectava algo assim, dando qualidade e posse ao meio-campo. Vítor arranja muito bem espaços e nós, estando a ganhar (quando Rinaudo entrou), tinhamos mais espaço para explorar.
Eric para manter.

António Gomes disse...

E o penaltie? viste?

Cantinho do Morais disse...

"Não vi" 6 faltas do Rio Ave. Vi mais, muito mais (dentro e fora da área)."

António Gomes,

a sua pergunta foi para mim? é que acho que fui claro na frase que estava no post (e reproduzo aqui) e na foto que o ilustra.

António Gomes disse...

Não stresses! estava apenas numa de picar..

Podias ter escrito:

"Não vi" o arbitro marcar um penaltie clarríssimo :-)

http://ocacifodopaulinho.wordpress.com/2013/09/23/nao-vi/