terça-feira, 10 de setembro de 2013

Coerência: a Linda e o Feio



Camaleão
Segundo do Dicionário Priberam da Língua Portuguesa, pode ter, pelo menos, dois significados:

[Zoologia]  Réptil sáurio, de olhos grandes e salientes e língua protráctil e pegajosa com que caça os insectos de que se alimenta. (A sua pele pode mudar de cor.)
[Informal]  Pessoa que muda facilmente de opinião ou de conduta.

Linda Evangelista (foto em cima) é uma conhecida Super-model (reformada) que fez carreira, essencialmente, nos anos 90, juntamente com Naomi Campbell, Cindy Crawford, Kate Moss, Claudia Schiffer, Elle Macpherson e Helena Christensen. 
Pela sua constante mudança de visual, ficou conhecida por "Camaleão". Tendo em conta os significados atribuídos pelo dicionário ao termo, é provável que esta alcunha esteja relacionada com o réptil.

Anos mais tarde, surge em cena outro Evangelista, o "Quim". Com poucos elementos que o levassem a uma carreira relacionada com sua beleza natural (ou falta dela), destacou-se como Presidente do Sindicato dos Jogadores (já vai no 3º mandato - é quase um dinossauro), sediado no nosso país.
Também é um "Camaleão". E visto que não há registo de mudanças de visual ou tons de pele, bem como uma "língua protráctil" (embora venenosa para quem lhe convém, mas já lá vamos), então esse termo só pode estar conotado com alguém que "muda facilmente de opinião ou de conduta". 
Quim é isso mesmo. E eu diria mais. O Quim "muda facilmente de opinião ou de conduta" consoante o clube de futebol ou jogadores em causa. Se existir alguma questão contratual, possível violação de direitos dos jogadores, ordenados em atraso, processos disciplinares, o Quim aparece. 
O problema é que o Quim só aparece quando estas temáticas estão associadas a um só clube, o Sporting Clube de Portugal.

Hoje, lá apareceu o Quim, na sua querida "Bola Branca", que deverá ser uma das suas fartas fontes de rendimento, tal é a sua presença em dita praça. Será porque o seu apelido é querido na estação de Rádio Renascença? Ou porque a seguir vem sempre a oração do terço e nada melhor que o Evangelista para o fazer? Isso agora não interessa.
E, como é óvbio, lá apareceu contra o Sporting e para a relação que este clube tem com os seus jogadores. Hoje foi a defender o Evaldo, Bojinov, Elias (outro com nome bíblico) e Labyad, contra esse grande enviado do Demónio que é o Sporting. 

Não sei se tem razão no que diz. Mas o que importa destacar é que o Quim, que já tinha tido posição semelhante quando Djaló rescindiu com Sporting e Nice (e, também, Izmailov; também falou de Bruma; de eventuais atrasos e pedidos de ajuda de jogadores do Sporting por terem ordenados em atraso; e, até, que a UEFA tinha legitimidade em instaurar um processo disciplinar a Wolfswinkel porque teria feito um gesto obsceno para o público, etc), manteve-se calado durante todo o processo/castigo/perdão de Cardozo, mantem-se calado relativamente à situação dos proscritos Djaló e Carlos Martins, relegados para a equipa B, das agressões verbais de Luisão aos seus adeptos (bem como da agressão física a um árbitro, na época passada), da fuga/retorno de Oblak (e mais e mais e mais).
E, mais norte, o Quim aguentou uma mesma postura de silêncio relativamente a Atsu, Rolando, Kleber, entre outros, votados ao ostracismo (que era do conhecimento público) pela sua direcção.

Não sei de onde resulta este carácter volátil de Quim. Não sei porquê a insistência nos temas e questões relacionadas com o Sporting e, em oposição, um total silêncio relativamente a Benfica e FC Porto. 
Será porque Evangelista é devoto a Jesus e ao Papa? Se assim for, então percebe-se. 

8 comentários:

Álamo disse...

Excelente post!...

Bem arquitectado, trabalhado e redigido. Parabéns.

SL

António Gomes disse...

Divulgue-se...

Não concordando muitas vezes com o que escreve neste post estou completamente de acordo, por isso tomei a liberdade de o divulgar :-)

SL

Koba disse...

Cantinho, na mouche

Não esquecer, também, o silêncio do Sindicato (não sei se era o Quim ou outro) quando o jogador Adriano teve que levar umas traulitadas na noite de Matosinhos para definitivamente perceber o rumo a tomar na sua vida.

MaximinoMartins disse...

Não é difícil descortinar a razão porque ataca sempre e só o Sporting...
pelo que se nota, ainda terá os dentes todos...
Coisa que podia acontecer já ter perdido...se acaso se metesse a comentar em tons de vermelho ou azul...!!

A segurança pessoal...é boa conselheira...!!

Leão de Alvalade disse...

Boa posta Cantinho!

Abraço

Cantinho do Morais disse...

Álamo,

Obrigado.


António,

É sinal que nos regemos pelo nosso cérebro e não somos empurrados, na nossa forma de pensar e agir, pelo meio envolvente. Hoje concorda-se, amanhã não. Hoje assume-se um erro, amanhã luta-se novamente. Nem sempre se tem razão (e, obviamente, falo para mim e para si), mas desde que se defenda com convicção e acredite-se, de forma séria, no que se defende, é respeitar. Abraço.


Maximino,

Nem digo que fosse os dentes o que o Quim mais perdia. Se tomasse outra atitude relativamente a Benfica e Porto, o mais provável era perder o emprego.


Koba,

Havia tanto para falar dos silêncios e tiros ao lado do Sindicato... Além desse episódio que falas, quem não se lembra do teatro montado em redor de Jardel? Quando este regressou do Brasil e deu uma conferência de imprensa (muito afectado) no Sindicato, a dizer que não podia jogar pelo Sporting?
Abraço.


Leão,

Um abraço e obrigado.
Mas há outro assunto que já me tem criado algum mau estar, mas não acho que lhe deva dar a devida importância num post: o assunto Ronaldo-Eusébio.
Só num país pintado de vermelho (na sua comunicação social desportiva) é que não há coragem para dizer a Verdade: Cristiano Ronaldo é o melhor jogador português de todos os tempos! E ainda não chegou ao fim da carreira!

E numa coisa concordo com Eusébio. Ele diz "que não há comparação". Pois não, não há! Como já não havia com Figo (que já foi melhor que Eusébio) e, porque não, com Vítor Baía.
É triste a postura de Eusébio, mas é o reflexo do nosso povo: agarrado a um passado que nem sempre foi glorioso, ressabiado, invejoso e que nunca assume que, a partir de um momento, o seu espaço deve (também) ser ocupado por outro.
Neste tema também não há dúvidas. A protecção a Eusébio só resulta de um facto: Benfica.
Porquê que nunca foi feita a comparação entre Peyroteo e Eusébio? Sempre estiveram mais próximos no tempo do que Ronaldo e Eusébio, sendo mais fácil a comparação.
É que, possivelmente, Eusébio perdia novamente nesta comparação.
Abraço.

Cantinho do Morais disse...

E todos sabemos que estas declarações públicas (bem como as outras que tem vindo a fazer sobre a vida do nosso clube) não partem da iniciativa exclusiva do Quim.
Também há uma oferta e vontade enorme dos meios de comunicação em colocar um microfone ou gravador na boca desta gente. E não só do Quim! Também nos líderes da arbitragem, empresários de jogadores nossos, ex-dirigentes, "paineleiros" e ex-jogadores.
E o pior é que não só pessoas fora do clube que, à primeira oportunidade, aparecem a atacar. Basta ver o tempo de antena dado a Eduardo Barroso, José Eduardo, Jaime Soares, Venâncio, Cadete e Carlos Xavier, sempre prontos a debitar e questionar o quotidiano do clube.
Há muitos avençados de Antenas 1, RR, Record, ABOLA e outros afins...

E a coerência (ou falta dela, dependendo do ponto de vista) é marca dos órgãos de comunicação social. Basta um exemplo claro: vamos ver as entrevistas feitas a árbitros, líderes de árbitros e pessoal de direito desportivo, logo após João Pinto ter agredido um árbitro na Coreia do Sul (e as penas e castigos exemplares que reivindicaram) e o tratamento dado ao caso Luisão, após agredir um árbitro na Alemanha (com jogo interrompido e tudo). Houve silêncio e um dos poucos que se manifestou foi o Pedro Sócio sem Dentes Proença, que apareceu logo a defender... o Luisão!!

É (também) isto que temos de combater.

Anónimo disse...

E quem é que leva o evangelista a sério. Falei com amigos de diversos clubes, sobre este personagem e constato que o mesmo não tem o mínimo de credibilidade. É ignorá-lo. Penso que BdC fez mal em falar dele. Quando lhe pedissem para comentar as palavras de evangelista só deveria responder: quem? Nao conheço!SL