segunda-feira, 1 de maio de 2017

Números de equipa Grande (uma ajuda do grande Podence)


Não sou muito de usar números e percentagens quando falo de futebol. Não é porque não considere válida a sua aplicação, mas sim porque percebo pouco de futebol, correndo o risco de estar analisar dados parciais, ou por não estar a considerar, correctamente, todas as variáveis. Há cerca de 3 meses fiz um pequeno exercício desses (ver aqui), para tentar mostrar que tanto Esgaio como Jefferson eram os mais fiáveis laterais que o Sporting tinha no plantel (continuo a pensar assim).

Hoje trago um pequeno resumo (estatístico) da presença de Podence no 11 do Sporting. Não fui "picado" por mais uma excelente exibição sua, ontem em Braga. Quem por aqui passa sabe que sou fã deste jovem jogador e, acima de tudo, considero que é melhor jogador do que muitos que estão no plantel (e que jogam mais tempo que ele), assim como acho que a sua presença em campo oferece outro tipo de soluções e de jogo ao nosso ataque (técnica, velocidade, 1º toque, inteligência e muita dinâmica).

É comum ouvir Jorge Jesus a elogiar Dost e Alan Ruiz. Se os elogios ao holandês são mais que naturais, já ao argentino... são, no mínimo, um pouco forçados. Mas considero normal, nem que seja para motivar. O problema é que se os elogios são para motivar, seria importante ouvir o mesmo registo para outros jogadores. 

No meio dessas loas, Jorge Jesus afirmou mesmo que Dost e Alan Ruiz eram a melhor dupla atacante da Liga. Talvez seja, não sei (se alguém quiser fazer uma estatística para Alan Ruiz, eu gostava de comparar).
O que eu sei é que sempre que Podence esteve mais de 45m em campo (e isso só aconteceu por 3 vezes...), Dost marcou 10 golos e o Sporting marcou 11. Foi assim em Tondela, com o Boavista em Alvalade e, ontem com o Braga. O Podence fez 224m no total desses 3 jogos. Aí, Dost marcou 1 golo por cada 22,4m. Já o Sporting, nesses 3 jogos, marcou 1 golo por cada 20,4m. Nada mau..
Coincidência ou não, o que é certo que os resultados em Tondela e com o Boavista correspondem, nesta época, às maiores goleadas do Sporting na Liga (curiosamente nos jogos onde Podence jogou mais de 75m - nunca completou os 90m).

Desde que regressou ao Sporting, Podence participou em 11 jogos na Liga, com os seguinte resultados:
- 9 Vitórias
- 1 Empate (1-1 com o SLB, onde entrou aos 80m, já com o resultado feito)
- 1 Derrota (1-2 no Dragão com o FCP, onde entrou aos 81m, já com o resultado feito)

Pelo meio daquilo que parece ser uma 2ª volta boa em termos de resultados, há o empate em casa com o Vitória de Guimarães (1-1), onde Podence, estando no banco, não foi utilizado.
Resumindo, com Podence em campo, o Sporting venceu 82% dos jogos, empatou 9% e perdeu 9%.

Podence completou, até agora, 348m, divididos por 11 jogos, o que dá uma média de 31,6m/jogo. É o 22º jogador mais utilizado nesta época. A título de exemplo, e só para se ter uma ideia da sua utilização/rendimento, Podence tem:
- cerca do dobro dos minutos de Slimani (que ainda jogou 2 jogos);
- mais ou menos o mesmo que Castaignos (352m);
- quase metade do tempo de Douglas, André, Elias e Markovic;
- menos 900m que Campbell (o equivalente a 10 jogos);
- menos 1300m que A. Ruiz (o equivalente a 14 jogos);

Mas como é o comportamento defensivo com Podence em campo? Convém recordar o alerta de Jorge Jesus para a "falta de cultura táctica defensiva" dos jovens formados em Alcochete. Bem, nesses 348m que Podence esteve em campo, o Sporting sofreu 2 golos (Murillo - Tondela; do inevitável Rui Fonte, o 2º golo de ontem do Braga), e marcou, nesse mesmo período, 13 golos. Com Podence a jogar, o Sporting tem uma média de 1 golo sofrido a cada 174m, marcando 1 golo por cada 27m (se isto estiver mal, alguém que me avise, sff..).


Ontem fiquei, como é óbvio, feliz com a nossa vitória em Braga. Após o jogo pouco conseguido de Bruno César, Alan Ruiz (e Schelotto, e B. Ruiz), com o SLB, dizia o bom senso que existissem alterações no 11 titular. Não. Só Marvin recuperou o seu lugar. Até à lesão de A.Ruiz, só Gelson acelerou o jogo. Depois, entrou Podence e o jogo do Sporting viu a luz. 
Preocupa-me esta "teimosia" de Jesus. A insistência nos mesmos, apesar do seu fraco rendimento.
Como será contra o Belenenses? Sem Gelson, Podence e Alan? Voltarão Matheus e Francisco Geraldes? Ou serão B.Ruiz e o desmotivado e dispensado Campbell?
Jorge Jesus tem mais uma oportunidade para demonstrar que futuro quer para o Sporting.


Duas notas finais:
1. O 3º golo de ontem é tudo o que uma equipa grande pode e deve fazer. O entendimento da dupla Podence/Dost foi muito bom, virando Dost para o jogo que, por sua vez, serviu muito bem Gelson. Este, entrou e temporizou, esperando que Schelotto fizesse de Maxi Pereira (às vezes faz isso), o italo-argentino olhou para a área e encontrou isto:


Soluções na área, além do sempre tão isolado Dost. Desta vez, os centrais adversários não puderam ir só ao Dost e este, solto, atacou o espaço e o cruzamento. Golo! O trabalho de B. Ruiz e Podence é muito bom e Schelotto fez, muito bem, o que tinha de ser feito. Até Adrien está no sítio certo. Isto é uma equipa grande a atacar como tal.
Imaginem os lances de Gelson contra o SLB. Quantas opções havia na área? Só Dost? Dost e Alan? Quantos lances de perigo se perderam durante a época por falta de gente na área?
A nossa ineficácia e insucesso nesta temporada passou muito por isto...


2. Futsal do Sporting. Foi doloroso para todos nós ver a vossa/nossa derrota. Mas conhecendo esta equipa (liderados exemplarmente por Miguel Albuquerque e Nuno Dias), sabemos que a vontade de Vencer está sempre presente. E isso deixa-nos descansados e, sempre, Orgulhosos.
Vocês são vice-Campeões Europeus. Nunca se esqueçam disso (é que não é para todos).

16 comentários:

RMSCP disse...

Mais do que as estatísticas, é ver o jogo. Neste até tivemos o pré e o pós-Podence. Que diferença incrível na qualidade do nosso jogo. Até os laterais pareciam jogadores. Só foi pena ter levado o 5º amarelo de forma infantil. Foi para mim o melhor em campo, mesmo com o Dost (que grande época) a fazer um hat-trick.

Gostei muito do nosso jogo após a entrada do Podence. Ofensivamente, foi bastante bom. Já defensivamente, fomos fraquinhos. Como é possível uma equipa de JJ defender assim? Muita falta de agressividade e muitos posicionamentos patéticos por parte da nossa equipa...

A mim cheira-me que vai ser Campbell e Bryan... Pelo menos teremos, provavelmente, Geraldes e Gauld no banco. Muito boa ideia fazê-los regressar para jogar na equipa B. Se o Gauld foi por birra, o Geraldes foi porquê? Enfim...

Cumps

JG disse...

Por pura coincidência já tive oportunidade de rever o jogo. Um dos melhores da época, depois da entrada de Podence. A análise estatística diz muito mas concordo com RMSCP não são necessários dados basta ter visto o jogo. Uma diferença abismal depois da entrada de Podence. Sempre a posiciona-se para facilitar o passe ao colega com a bola, sempre célere a libertar a bola empurrando a equipa colectivamente para a frente. Podence igual a dinamismo. Podence igual a criatividade. Podence igual a reacção rápida à perda de bola. Podence igual a empenho e solidariedade no jogo colectivo. Podence igual a perigo eminente na área adversária.
Podence não titular indiscutível é um mistério que justificaria, por si só, uma conferência de JJ.
É verdade, com Podence em campo jogámos como uma equipa grande, uma grande equipa. Até os laterais melhoraram como refere RMSCP. Isso por si só já é obra.
A dado passo estava a imaginar: e se o JJ tirasse o Bruno César e colocasse o Geraldes, no que é que isto ia dar?.
Mas também sou dos que pensam que contra o Belenenses jogarão Brian Ruiz e Campbell. JJ é um treinador vitima das suas ideias feitas. Nem uma palavra para elogiar o Podence que fez o que fez na Pedreira.

Anónimo disse...

"Quando contratamos um jogador é a pensar no modelo de jogo. E vamos à procura de caraterísticas. É muito importante que seja o treinador a escolher os jogadores."

Anónimo disse...

"Convém recordar o alerta de Jorge Jesus para a "falta de cultura táctica defensiva" dos jovens formados em Alcochete."

Porque com o Alan Ruiz e o Campbel chegaram duas máquinas a defender. Tudo tretas. As habituais de JJ. A verdade é que desde o início da época que nunca tivemos ninguém no Sporting a fazer o que Geraldes e Podence faziam no Moreirense. A conclusão parece óbvia.

RG disse...

Bom comentário!

Relativamente ao futsal teríamos tanto, mas tanto para falar ;)

SL

Anónimo disse...

"Nem uma palavra para elogiar o Podence que fez o que fez na Pedreira."



«O Podence é uma certeza. Está a ser trabalhado com tempo, como foi o Gelson Martins. Errando, mas tranquilo. Sabe que ninguém o vai parar. Joga com uma margem de progressão muito mais facilitada. Ele tem muito talento. O que foi o Gelson num ano, vai ser o Podence para o ano», afirmou Jorge Jesus.

Parece-me um elogio mas se calhar sou eu que ouço mal, porque as ouvi em directo, ou que leio mal

Cantinho do Morais disse...

RMSCP e JG,

o uso das estatísticas serve para dar, ainda, mais destaque à qualidade do Podence e à influência que tem no jogo do Sporting.
Entre o jogo do SLB e com o Braga, Podence jogou, no total, 72 minutos e Alan jogou cerca de 90m. É ver quem jogou melhor e como o Sporting jogou com cada um em campo.

É um jogador de grande qualidade técnica e com uma enorme compreensão do que se está a passar no jogo.
Outra coisa que não destaquei no post, mas também me parece evidente (tal como vocês referiram), é que tanto nos jogos com Tondela, Boavista e Braga, os nossos laterais não estiveram tão mal. Poderá existir aqui alguma relação directa..

Bryan Ruiz vai a jogo. Se é sempre das 1ªs opções quando está no banco (surpreendeu com o Braga ser o Podence, e ainda bem...), deverá ir.
Depois, veremos se Geraldes terá sorte.
Vamos ser se o jogo da B contra o SLB não servirá de desculpa para esquecer Matheus e Gauld..

SL

Cantinho do Morais disse...

"Porque com o Alan Ruiz e o Campbel chegaram duas máquinas a defender. Tudo tretas. As habituais de JJ. A verdade é que desde o início da época que nunca tivemos ninguém no Sporting a fazer o que Geraldes e Podence faziam no Moreirense. A conclusão parece óbvia."

Anónimo,

não há lógica nas palavras de JJ. Acusar Geraldes, Podence, Gauld, Matheus de não saberem defender e colocar em campo A. Ruiz ou Campbell é de uma enorme incoerência.
Falta um 3º médio ao Sporting, após a saída de J. Mário.
Gelson tinha de ser o agitador e faltou alguém. Geraldes teria sido excelente. Ao lado de Dost, só duas soluções óbvias - Podence ou Iuri.

As escolhas foram outras e os resultados estão à vista.

SL

Cantinho do Morais disse...

RG,

não sejas tão mau para o Futsal (vi os teus tweets).
Na final, correu tudo mal. E é só.
Nas meias, o Caio Japa deve ter sido o melhor.
Agora é preciso vencer tudo cá dentro (e deixar de ter medo de jogar contra o SLB).

SL

JG disse...

Tem razão Anónimo das 15:06 relativamente às declarações de JJ sobre Podence.

Anónimo disse...

Concordo Cantinho. O que eu mais aprecio em JJ é ser desde sempre um treinador adepto do futebol espectáculo. Infelizmente muitas vezes com desequilíbrios no meio campo mas um fervoroso adepto do futebol de ataque. Para mim, pessoalmente, nunca deu tanto espectáculo como no 1º título no Benfica. Com Javi, um box-to-box incansável como Ramirez, um sobredotado como Aimar, Di Maria e um monstro como Saviola entre linhas. Que esta época podia perfeitamente ter reeditado com William, Adrien, Geraldes - muito mais fresco que Aimar - Gelson e sobretudo com Podence entre linhas. E também concordo, que se ia falar muito menos dos laterais.

Depois diz-se que JJ não gosta muito de jogadores franzinos e/ou jovens. Não é totalmente verdade. Sem opções e como ainda não se falava muito de Gelson, não hesitou. JJ não gosta muito é dos egos dos outros porque adora o dele. Por isso é que só jogam os jogadores dele. Por isso é que é "... muito importante que seja o treinador a escolher os jogadores." E tenho para mim que quanto mais se falar do Geraldes pior. Como com o Bernardo no Benfica. Que tinha que nascer 10x.

Anónimo disse...

E só para concluir, nenhum grande clube formador pode estar só dependente do treinador principal. Sobretudo de alguém que se acha, ele próprio, superior ao clube. E por isso é que eu já disse aqui que Jesus, com coisas muito boas e coisas muito más, não serve ao Sporting. Mesmo essa equipa que deu espectáculo em Portugal foi humilhada em Liverpool. E ninguém esperava outra coisa.

E também por isto é que já disse aqui que nos últimos tempos a estrutura técnica que mais me agradou ver trabalhar no Sporting foi a estrutura de Jesualdo. Com mais ligação à formação. Infelizmente o que tinha ficado para trás do mandato... E como quem entrou também percebe mais de egos que de futebol... Nenhum grande clube formador pode andar anos e anos a investir recursos em jovens para depois despachar Bruma, Dier, até Cédric por 5M. E isto só ultimamente. O Sporting precisa definitivamente de quem sirva o clube e não de quem se venha servir do clube. Por mero protagonismo ou outra coisa qualquer. A culpa nunca foi só das arbitragens.

Cantinho do Morais disse...

Caro Anónimo,

há pouco a acrescentar ao seus comentários.
Excelente a referência ao "rolo compressor" de JJ na 1ª época no SLB (com um excelente plantel que Quique Flores não teve unhas para brincar; ainda assim, só venceu na última jornada a 1 ou 2 pontos do Braga de Domingos... ou seria ainda um Braga de JJ?).
A questão dos Ego é verdadeira mas é surreal que se esteja perante essa situação. Deve jogar quem é melhor. Só. E não é isso que acontece.
Concordo totalmente com a referência à formação, à forma como tem sido tratada e despachada pelo Sporting (e isso é histórico e os adeptos também têm muita culpa, pois sempre preferiam um Capel a um André Martins, um Vukcevic a um Nani, um Miguel Lopes a um Cédric e um Rojo/Maurício a um Dier).

"O Sporting precisa definitivamente de quem sirva o clube e não de quem se venha servir do clube. Por mero protagonismo ou outra coisa qualquer. A culpa nunca foi só das arbitragens."

Nem mais...

SL

Anónimo disse...

E outra coisa que nunca se faz no Sporting é as perguntas ao contrário. Ou o que é que não faria Alcochete com os 8M do Alan Ruiz. E quem fala no Alan Ruiz fala em muitos mais. Se quase sem dinheiro dá o que dá... Há muitos anos que a Academia merece um lugar na Administração da SAD. E não era para fazer lugar de corpo presente mas alguém executivo em áreas tão importantes como o recrutamento de treinadores e atletas. Algo assim é que eu chamava Champions de Gestão. Ou no mínimo boas práticas para acautelar o futuro. Senão vamos continuar sempre na mesma senda. Parece que só há engenho quando não há dinheiro.

Cantinho do Morais disse...

"Parece que só há engenho quando não há dinheiro."

Sem dúvida. No mercado e na planificação da época, confio muito mais num Sporting "pobre", do que num Sporting com dinheiro.

JG disse...

Pois é os 8M gastos no Alain Ruiz, essa descoberta de JJ numa equipa pequena, dariam para financiar que actividades da Academia?
Mesmo sem um lugar na Administração a Academia tem sido o melhor e único Director Financeiro do Sporting - apenas com o pelouro com o pelouro das receitas e dos investimentos com alta rentabilidade, porque de despesas tratam outros - e o maior Director de Markting, com a promoção universal de talentos ali criados com o maior destaque para Ronaldo.
Quanto melhor a Academia trabalha, quanto mais dinheiro gera, maior disponibilidade têm os gestores para desprezar novos diamentes (Iuri, Geraldes,Matheus) e gastar milhões em cascalho do rio (Elias, André, Castaignos, Petrovil, Douglas para falar s+o da cascalheira deste ano).

SL