segunda-feira, 8 de maio de 2017

(Re)Comece a festa...


Sinceramente, o que haverá mais para dizer?
Creio que não é preciso que se diga alguma coisa. Aquilo que se viu ontem, em Alvalade, é o retrato deste clube:
- Estádio (mais uma vez) cheio;
- Apoio enorme;
- Jogar para nada (a não ser Orgulho, mas isso é uma coisa banal que não passa da bancada para o relvado, onde todos são imunes a esse tipo de valores);
- Futebol de merda;
- Utilização de jogadores que todos sabem que são uma merda;
- Oferecer golos ao adversário (todo o lance que dá o penalti é uma falta respeito pela profissão; um gozo...);
- Reabilitação de clubes e treinadores moribundos (que há 5 dias estavam a ser apertados por 70 adeptos... e perdiam há 7 jogos...);
- Possibilitar aos sócios e adeptos do Sporting Clube de Portugal mais uma humilhação. Sim, mais uma...

Não vale a pena reflectir ou tentar explicar o que, mais uma vez, se passou. Há algo muito estranho, venenoso até, que ainda nos move a seguir e acreditar no Sporting.
Ninguém pode ter ficado surpreendido por ver este Bryan Ruiz a titular.
Ninguém se surpreendeu por ver Schelotto todo "roto" aos 5m e a cometer erros e mais erros (vejam o lance do penalti, por favor...).
Ninguém se espantou por ver que Bruno César é um bom suplente e não um bom titular (e sem pé direito...).
Ninguém levou as mãos à cabeça quando viu uma 1ª parte banal, sem rasgo e velocidade, jogo interior e zero ocasiões.
Quem ficou surpreendido por ver que Matheus foi o primeiro a ser substituído? Ninguém...
Alguém teve dúvidas que Campbell e Castaignos estavam à frente de Francisco Geraldes nas opções? E que as suas exibições iriam roçar o ridículo? Ninguém...
E quem é que, ao ouvir/ler as justificações do treinador, ficou surpreendido pelo "sacudir a água do capote" e pela justificação da humilhação por via da "juventude", "inexperiência" e "mau plantel"? Ninguém...
Por fim, haverá alguém que nunca pensou que o Presidente, uma vez mais e perante tamanha humilhação, fizesse uma comunicação sem qualquer nível (que devia ser interna), iniciando mais uma "caça às bruxas" mas sem nunca assumir que é o PRINCIPAL RESPONSÁVEL desta época humilhante (estamos mais perto do 4º lugar do que do 2º... ainda vamos rezar para que o tetra-campeão "empate" o Vitória na próxima jornada... ao que chegámos...).
Ontem, Bruno Carvalho deu o mote para a pré-temporada. A crise está instalada, os egos vão defrontar-se mas ninguém vai olhar ou cuidar do verdadeiro doente, o Sporting.

Todos já toparam o que é o Sporting. Por isso o apelidaram de "Comédia de Portugal". Só nós não conseguimos (ou não queremos) ver isso, mas foi no que ele se tornou. Só que neste Circo em que este clube se tornou, os palhaços não estão no palco, estão na bancada.
Até quando?

Caros jovens leões que, ontem, visitaram Alvalade pela primeira vez,
apresento-vos o Sporting Clube de Portugal. Um clube que nos vende Ilusões mas que teima escrever a sua História por via de repetidas Desilusões.

Não há quem acabe de vez com o buraco psicológico (e que já é genético), em que este Clube mergulhou. Cada vez tenho mais dúvidas que volte a ser aquilo pelo qual me venderam - um Vencedor (e que, em 36 anos, eu nunca vi).

Não é justo pedir a alguém que apoie o Sporting.

19 comentários:

António Gomes disse...

"Não é justo pedir a alguém que apoie o Sporting"

Tens boa solução...

Cantinho do Morais disse...

António Gomes,

infelizmente já não tenho essa (boa - palavra sua) solução. Estou envenenado e, segundo sei, é incurável.
Mas não desejo a (mais) nenhuma criança aquilo que este clube (não) fará por ela.

Angelo disse...

Ou então enfrentar a realidade de que o Sporting não é um clube vencedor.

No ano passado estivemos bem e às vezes basta uma côdea para os adeptos ficarem todos entusiasmados e com as expectativas em cima. Tanta exigência para um clube que ganha quase nada no futebol nos últimos 40 anos.

Mas enfim, almejamos sempre dar um passo mais largo do que a perna, é lógico que apanharemos miitas desilusões.

O que não significa que devemos baixar os braços. BdC parece ser a pessoa certa para mudar o rumo das coisas. Mas está refém do Jorge Jesus. Não só em termos financeiros, mas devido a todos os votos de confiança e como ponto de honra que já fez e não vejo como voltar atrás.

Tem que impor mais a utilizacao dos nossos jovens e não ceder a tod9s os caprichos dele. Porque se ele pede A e BdC dá B que é parecido mas mais barato, estão os dois a errar.

Anónimo disse...

"BdC parece ser a pessoa certa para mudar o rumo das coisas."

Como dizem os americanos: LOL!.

Virgílio.

RMSCP disse...

Mais do que desilusão ou tristeza, senti vergonha deste jogo. Ao 3º golo, metade do estádio foi-se embora. Não devem de lá voltar tão cedo depois disto.

Eu não costumo discutir atitude e intensidade, pois prefiro falar de futebol, mas isto foi ridículo. Independentemente da qualidade (dos jogadores e da equipa), expectativas, confiança, etc, o Sporting tem OBRIGATORIAMENTE (mais que não seja pela força do histórico e dimensão da massa adepta)que fazer uma exibição minimamente razoável a jogar em CASA com o ESTÁDIO CHEIO contra uma equipa de 3ª categoria. Recuso-me tentar, se quer, descrever/analisar a nossa exibição ontem.

Este clube tornou-se patético. Quando dá um passo em frente, anda de seguida 100 para trás e por isso parece cada vez mais retrógrado.

PS: Se nem contra o NES e o Rui Vitória conseguimos competir, esperamos ser campeões quando?

Cumps

Fernandes disse...

Entre 82-83 e 16-17 o clube conquistou 5.7% dos campeonatos.

BdC cresceu inserido neste contexto, mas será que ele perdeu um minuto que seja, "desde os seis anos", a reflectir sobre as origens deste declínio, e a crónica incapacidade para o contrariar?

Mais, será que BdC faz alguma ideia qual a identidade que pretende associar ao Sporting, através da sua "estratégia"? Afinal, ele quer exactamente o quê?

Por um lado não se cala com a excelente formação que existe (e não tem NADA a ver com ele), por outro contrata um treinador CLARAMENTE anti-inexperiência, ou seja, anti-jogadores da formação (que por definição não têm experiência).

E em cima da escolha do treinador ainda vai buscar DEZENAS de jogadores risíveis para os dois plantéis, sendo o expoente máximo desta contradição existencial o já mítico Shikabala. Isto não é promover a identidade de um clube, é promover a esquizofrenia.

A outra grande "batalha" de BdC foi contra... o futebol. BdC escolheu, de forma consciente, "batalhar" contra o FUTEBOL: agentes, árbitros, clubes, antigos dirigentes, sócios. Até lutou contra os SEUS jogadores e treinadores (Carrillo, Marco Silva...). O que é isto? Como é que se luta contra aquilo que é a base de tudo? Alguém vê um maratonista a lutar contra... a estrada? Como é possível isto fazer o mínimo sentido para alguém?

Aproveitou-se o pavilhão, que de facto reforça o eclectismo, mas será que foi esse o grande problema do clube entre 1982 e 2013? Não. Portanto como se justifica que se invista 10 MILHÕES de euros num edifício e... 0€ num director desportivo (o inverso é verdade aquando da construção do estádio)? Reformulando: o projecto de Roquette foi validado pela construção de uma excelente infra-estrutura em Alcochete? Não!

Estas "estratégias" só fazem sentido quando se olha para a história do Sporting de 82 a 17 como um único período. Não existiu nenhum "corte", existe sim uma linha recta ao longo de décadas:

1. Total incapacidade para tirar proveito do contexto.
2. Maus resultados desportivos.
3. Fuga para frente.
4. Implosão no horizonte.
5. Passo atrás.
6. Recomeça o ciclo.

BdC, após o acordo com os bancos, tinha literalmente quatro anos para, aproveitando o contexto de exigência mínima, ter a tal "exigência máxima" que tanto gosta de falar, e chegar a 2017 com:

- Um director desportivo indiscutível.
- Um líder de scouting indiscutível.
- Uma formação indiscutivelmente valorizada a todos os níveis.
- Um presidente focado a 1000% no que realmente interessa: o topo do clube e a reconstrução da identidade do clube que tem sido sistematicamente arrasada desde o João Rocha. Identidade a PRÓ-Sporting e não anti-TUDO. Isso não é uma identidade, é a sua negação.

NADA disto existe após quatro anos, e o resultado está à vista de todos.

A (4) implosão ainda não está no horizonte, mas a (3) fuga para frente veio para ficar quando se tem um dos treinadores mais caros em todo o planeta (a render ao nível de um Domingos).

No meio disto tudo só sei que, tal como no último terço da história do clube, o Sporting vai iniciar a próxima época muito mais próximo da derrota que da vitória, a que se junta um presidente totalmente incapaz de delinear uma estratégia racional com vista a alterar essa situação a médio prazo.

Bem, a não ser que alguém me saiba dizer o que BdC está a fazer hoje em prol do Sporting do dia seguinte ao final do seu mandato.

Cantinho do Morais disse...

Angelo,

há muito que digo que não somos um Grande. Então se o Futebol é o suporte de tudo.. aí muito menos. Somos Grandes no Futsal (mas não chega para o Presidente), no Atletismo feminino e... (mais nada).

Se JJ escolheu isto, escolheu mal. Se alguém validou as suas escolhas, então fez ainda pior.
Há responsáveis, são esses que têm de assumir erros. Depois, vão aprender com eles ou vão continuar que a culpa nunca é deles?

grande dilema...

SL

Cantinho do Morais disse...

RMSCP,

foi uma vergonha... há pouco a dizer. Este tipo de humilhação não existe na história do FCP e SLB. Até nisso somos diferentes.
Estou farto e buraco é grande, grande, grande...

É uma esquizofrenia total e completa. Já vimos isto a acontecer, e nunca melhorou.
45 mil nas bancadas e a motivação de TODOS é ZERO.

SL

Cantinho do Morais disse...

Fernandes,

excelente reflexão da qual partilho muitas das posições.
Somos o clube mais tolerante do Mundo e teríamos aguentado 4 anos sem ilusões, só trabalho e sofrimento.
No fundo, foi quase isso, pois o sofrimento esteve sempre lá (e cada vez pior).
O 11 que o Sporting apresentava no final de 2015 é melhor que o de 2016 que, por sua vez, é melhor que de 2017.
Isto diz muito da "estratégia"...

obrigado pelo comentário.
SL

fullrise disse...

Texto forte, Cantinho....
Presidente e treinador perderam o espaço de manobra (quase) por completo. Estão reféns um do outro. Se um cair, o outro cai a seguir.
Ambos, deram o tiro de partida para a próxima época, com as miseráveis declarações que fizeram. Fizeram a cama, e vão se deitar nela.
O Sporting ganhou muito com BdC e JJ, claro que sim, mas chegou a hora (e já vem tarde) de se passar para outro patamar. Não podemos é regredir. Se não são capazes, então que dêem lugar a outros.

jorgen80 disse...

Quando o Sporting se tornar um clube de inconformados como o dono deste Blog, talvez o Sporting atinja o próximo nível. E quando digo inconformados é foco total no que vai mal no seu clube, e menos preocupação com o que se passa no outro lado da rua.

O Benfica, neste momento, está a um outro nível. Para se chegar lá, primeiro ultrapassar o Porto e depois, sim, focar no clube que neste momento domina o futebol PT. Lembro-me que o Benfica há uns anos era o eterno 3 lugar- Foi passo a passo até ao topo.

O problema é o vosso antibenfiquismo primário. Isso sim, é genético, mas acredito que ainda haja verdadeiros leões.

Metralha disse...

jorgen80,

Não há nenhum sportinguista que não seja anti-benfiquista. Se não o são é porque não são verdadeiros leões.

Cantinho do Morais disse...

fullrise,

concordo que já está tudo no limite. Espero que ambos tenham essa consciência e que lhes sirva de pressão/motivação.
Se dizem que são os melhores nas suas funções, então demonstrem-no. O pior é que, está visto, não são...

"Não dar passos atrás", "não regredir" e "aprender com os erros". Tudo chavões que vou ouvindo durante mais de 30 anos de Sporting. Se isso acontecer agora, será inédito (não acredito que aconteça).

SL

JG disse...

O jogo foi uma vergonha. O Belenenses limitou-se a esperar atrás e a ter Paciência. O Bruno Paixão deu uma ajuda quando Bruno César começou a evidenciar o seu bom momento de forma sobretudo em termos defensivos. JJ brindou os 45 mil - repare-se como ele começa sempre as conferências com um agradecimento aos sócios, isso prova que há uma estratégia de comunicação - com a galeria dos horrores disponíveis. Brian Ruiz - para garantir um ritmo tépido e muita cultura táctica - e mais tarde Campbell - é preciso dar minutos aos miúdos, diz ele - e "last but not the least", o estravagante Castaignos, essa jovem esperança do Sporting XXI.
Para compensar Geraldes jogou alguns minutos, com a sábia deslocação de BCésar para lateral a adivinhar o que aí vinha e a saída de Marvin. Muito trabalho táctico. Muita incompetência junta. Gauld estava na bancada a adquirir cultura táctica oftálmica.
Os bons momentos do Sporting esta época têm assinatura: Gelson, POdence, Dost, William - algumas vezes - Adrien - poucas vezes - Coates e Rui Patrício.
JJ tem as suas ideias e as suas obsessões. Não me parece -digo-o há bastante tempo - que sirvam o Sporting.
O problema é que quem manda não consegue ser um exemplo de coerência e de respeito por um projecto desportivo de médio prazo, capaz de mobilizar o clube e os associados. Só por isso é que adquirem tanta importância as casmurrices e as burrices de um funcionário hiper bem pago. Quem defende o projecto do clube é o Presidente. O Sporting é um clube formador e tem recursos próprios. O treinador tem que os utilizar e valorizar. Com reforços criteriosos. Se não estiver interessado e não estiver motivado, pode demitir-se e ir para o Dragão. Por lá precisam de um treinador e não padecem desse defeito de serem um clube formador.

JG disse...

No meu comentário anterior esqueci o facto de atendendo às circunstância de que o jogo se revestia JJ ter aproveitado para dar uns minutos ao extraordinário Gelson Dala, um avançado notável. Eu digo muitas vezes aos meus amigos. Se o Eusébio tivesse chegado a uma equipa treinada por JJ nunca teria passado da cepa torta. Em vez de ter sido titular como ele próprio vaticinou no fim do primeiro treino, teria ido aprender as questões tácticas e outras teorias que um remate forte e bem colocado ou uma arrancada imparável com a bola dominada concluida com um remate cruzado indefensável relegam para o campo das inutilidades.

Anónimo disse...

Meus amigos sportinguistas:

Hoje sob um ponto de vista diferente. Apenas jurista. Só sob a forma como JJ continua a insistir em desvalorizar activos da SAD nas conferências de imprensa - mas não só - há mais que matéria para tentar impugnar o contrato de trabalho.

Anónimo disse...

Caro Cantinho,

Jorge Jesus no Sporting é o mesmo que levou empurrões do Cardoso e manteve-o no plantel, que falava mal dos jogadores do Carnide quando perdia e que ficava com os louros quando ganhava. Resumindo JJ é JJ.
Jorge Jesus foi o responsável pelo futebol espectáculo que jogamos na época passada. Decorrida mais uma época já só lembramos que não ganha o campeonato a dois anos(favor recordar como o Carnide venceu o campeonato passado e o último jogo com o Nacional!!!).
A única contratação avultada e sem riscos relativos foi Bas Dost(10 M), Alan Ruiz foi uma aposta a antecipar o interesse do Carnide e já estava referenciado um ano antes.É jovem e promissor(na minha humilde opinião).
O investimento em jogadores foi muitíssimo inferior ao Carnide que só com Jimenez e Rafa gastou perto de 40 milhões. Jogadores como Campbell, Markovic(já devolvido) e Meli(para prevenir a saída de Adrien) vieram por empréstimo, Castaignos(2,5 M), Douglas(1,3 M), André(3M) foram jogadores praticamente desconhecidos e por valores a que no mercado europeu não se compra pontas de lança ou centrais realmente bons. Foram todos apostas a pensar na Champions, falhadas.
A nossa formação fez a pré-época e fomos goleados em quase todos os jogos. Iuri Medeiros é craque mas fez uma pré-época sofrível em que a determinada altura se escondia atrás dos adversários para não receber a bola. Podence tentava lances individuais e perdia a bola infantilmente e não defendia. Palhinha falhava passes no meio de campo sempre que pressionado e ocasionou por diversas vezes contra ataques que resultaram em golo.Não estavam "no ponto". Revejam a pré-época e imaginem-nos a jogar a Champions como jogamos a pré-época. Era um risco que não podíamos correr. Tomaram-se decisões e estão lá para isso. Os jogadores da formação foram emprestados e ganharam rodagem de 1ª liga e afirmaram-se antes de regressar. Não tenho dúvidas que quem decide acreditou que era o melhor para o clube e que o desejo era ganhar. O resto são “se”s que não acrescentam nada a não ser subjetividade ao assunto.
As melhores vendas de sempre foram feitas na era JJ (Slimani e João Mário). O meio de campo Campeão Europeu é formatado na era JJ. Gelson Martins, o jogador mais entusiasmante dos últimos anos da formação, é titular na era JJ. Bas Dost já era matador, mas hoje é um jogador muito melhor na era JJ(rever os 1ºs jogos da liga). Fomos a equipa que melhor futebol praticava na época passada e se calhar nesta década.
Conclusões:
-não podemos tirar o JJ do JJ, é impossível. Na minha opinião é o treinador certo para rentabilizar jogadores(o outro era Leonardo Jardim que provavelmente treinará um colosso europeu na próxima época, Barcelona?) mas para ser campeão não basta só competência como sabemos. Não se é campeão por decreto e não se joga sozinho o campeonato.
-não se pode gastar 2 milhões em jogadores a tentar relançar carreira. É desperdiçar dinheiro. É necessário abrir os cordões a bolsa e comprar jogadores com créditos firmados e estes não custam menos de 10 milhões.
- É necessário construir uma 2ª linha de jogadores capazes de substituir os titulares do plantel sempre que necessário, de preferência com a formação. Os nossos rivais têm jogadores suplentes que poderiam ser facilmente titulares.
Jorge Jesus, se deixar o Sporting vai treinar o FCP e ser campeão...NÃO TENHAMOS A MENOR DÚVIDA DISSO.

SL

JG disse...

Concordo com muito do comentário do Anónimo que me antecede. Quase tudo o que disse é verdade mas há um senão: gastou-se muito dinheiro para adquirir jogadores irrelevantes. A comparação ocm os opositores não funciona porque eles nos últimos 16 anos tiveram sucesso desportivo várias vezes. O Sporting estava a recuperar da debacle no final do ocnsulado de Godinho LOpes e esse caminho - muito valorizado com a entrada de JJ e a primeira temporada extraordinária - tina que ser mantido e continuado. Este ano gastou-se mais, muito mais - não importa a comparação com os outros, insisto, porque no ano passado ela também existia e era maior, muito maior - e os resultados foram catastróficos em termos desportivos. Houve uma regressão.
Em Janeiro ensaiou-se um mea culpa com o regresso de alguns jogadores que estavam a destacar-se na primeira liga. A contragosto, poderá concluir-se .O treinador tem feito declarações erráticas, umas atrás das outras e o Presidente não ajuda.
Talvez fosse razoável pensar um bocado, mas julgo que as notícias são veiculadas a partir dos diferentes interesses em contenda.
Independentemente de quem irá ganhar o Sporting irá começar a nova época a perder. O costume.

Cantinho do Morais disse...

JG,

excelente resposta ao comentário do Anónimo. É verdade que este último toca em pontos que podiam ser correctos, mas a argumentação morre quando diz isto:

"É necessário construir uma 2ª linha de jogadores capazes de substituir os titulares do plantel sempre que necessário, de preferência com a formação. Os nossos rivais têm jogadores suplentes que poderiam ser facilmente titulares."

a) 2ª linha - tentou-se fazer isso com os resultados que se vê. A única 2ª linha válida, contratada em 2017 foi Beto (e B. César). Tudo o resto não serviu.
E mesmo na 1ª linha, só se aproveitou o Dost (sim, nem o Alan Ruiz se aproveita).

b) "de preferência com a formação" - Iuri, Podence, Gauld, Esgaio e Matheus - eram estes (admitindo que Palhinha e Geraldes ainda precisavam de mais "experiência"). Iuri não fez um jogo com os titulares na pré-época. Jogos com tubarões onde fomos goleados, com reforços no 11. Mas o Iuri é que fez uma pré-época má...

c) jogadores dos rivais - claramente, são muito fortes. Basta ver como Jimenez resolveu em Vila do Conde e como Castaignos mandou a bola para a bancada com o Belenenses.
A principal diferença é que o SLB usa os melhores como titulares, nós não.

SL