segunda-feira, 26 de janeiro de 2015

(Des)Focados na Vitória



Terei de começar pelo fim (pois saí do estádio irritado, e a última imagem é, normalmente, aquela que fica).
Os últimos 5 minutos confirmaram aquilo que os outros 90 já tinham indiciado: não estamos (ainda) mentalmente preparados para Vencer

Cruzamentos disparatados para ninguém, quando se impunha a continuação de gestão do jogo e circulação da bola, lançamentos marcados à pressa, faltas parvas em superioridade numérica e, o expoente, o lance em que William sofre uma dura falta, fica no chão junto à linha lateral, mas João Mário decide marcar o livre rapidamente para Mané que, não satisfeito com a burrice do colega, decide oferecer, por duas vezes, a bola ao adversário, ainda com William no chão. Desse lance, nasce o único remate da Académica. Um remate é pouco, é certo. Mas geralmente isso chega para nos derrubar, bastando para isso relembrar o jogo da 1ª volta, em Coimbra.

Pouco antes do golo de João Mário comecei a ter a convicção que não conseguiríamos vencer. As causas (ou problemas) estavam lá todas:
- Uma 1ª parte péssima, com pouca circulação e movimentação, aliados a um constante jogo pelas alas (que ficavam sempre sem apoio e em inferioridade numérica), desperdício das poucas mas boas oportunidades de golo (Montero e Carrillo, muito mal nesse aspecto), e surgiam os primeiros sinais de desespero, bem visíveis nos sempre inconsequentes remates dos defesas centrais;
- E o tempo ia passando...
- a 2ª parte estava sem aquela entrada forte que normalmente caracteriza este Sporting, e mesmo com as entradas tardias de Mané e Tanaka, a equipa não criava grande perigo. As bolas começavam a ser mal controladas, os laterais continuavam a centrar só pelo simples acto de centrar e, também, a rematar de todo o lado;
- além dos aspectos do próprio jogo, para mim também há sempre um lado mais irracional que é quase psicótico, pois, por breves instantes, começo a acreditar em superstições (realmente, um jogo de futebol e o Sporting levam-nos para campos emocionais totalmente absurdos). Passo a explicar. Não vi o jogo na minha bancada (Superior Sul). Um tio meu que reside do distrito de Coimbra (zona da Académica) estava em Lisboa e pode ir ver o jogo. Como nunca se consegue que ele vá para a minha bancada (os filmes nas bilheteiras são sempre surreais), lá tive de mudar de lugar e fomos para a Central. Por isso, com isto mudei uma rotina. Depois pensei: "Quando é que foi a última vez que fui para a Central? Foi há duas épocas, num 0-0 contra a Académica..." (merda). Seguimos para a fila 13 (mau). Depois entrou aquela coisa com o número 13 (Miguel Lopes) que conseguiu criar um lance de potencial perigo para a nossa baliza devido à sua alargada inabilidade para a prática do Futebol. E, para acabar, o único jogo que o meu tio tinha visto esta época do Sporting, foi em Coimbra, contra a Académica (1-1, sofrendo o empate nos instantes finais). Não dá, isto corrói um cérebro e deve provocar úlceras nervosas.

Mas a coisa safou-se. Com a entrada de Mané e Tanaka, Marco Silva corrigiu os seus próprios erros (e foram muitos). Primeiro porque tirou Adrien, um jogador a menos, incapaz de fazer um passe difícil e nunca dando opções centrais a um jogo demasiado lateralizado. Foi um jogador a menos, e se já foi um erro a sua inclusão no 11 inicial, muito pior foi o facto de ainda ter voltado para a 2ª parte.
Com a saída de Adrien foi possível ver o melhor William e João Mário (os melhores ontem). Vindos de trás, de frente para o jogo e pegando no mesmo, tendo finalmente à sua frente jogadores prontos a movimentarem-se para o necessário jogo interior e central. Montero apareceu, Mané começou a partir para o 1x1 e as saídas da área de Montero eram compensadas com a presença de Tanaka. E é assim que nasce o nosso golo. Montero recua, levando um defesa consigo, fixa mais 2 adversários, dá em William e, de repente, na área estão 2x2 (Tanaka e João Mário para 2 defesas da Briosa). Cruzamento perfeito, cabeceamento, defesa, recarga... Goooooollllloooooo!!! (parece simples, porque se calhar é mesmo)

Depois o banco. Sinceramente Marco, tantos erros no banco. Além do já referido 13, a presença de Rossel e as ausências de Gauld e Wallyson são incompreensíveis. Por 2 motivos: por mérito e demérito (Gauld e Wallyson têm estado muito bem na B e Taça da Liga, ao contrário de Rossel, merecendo serem compensados por isso); e porque Gauld pode arranjar espaços onde estes pareciam não existir.

Este jogo passou. Jogámos mal e ganhámos. Algum dia teria de ser assim. Foi justo mas sofrido. Há muito para emendar e trabalhar. Por outro lado, dá-me um gosto especial, saber que utilizámos 10 portugueses (8 da formação).
Foi este tipo de jogo que nos ajudou a ter 10 pontos de distância para o 1º classificado. 

Ontem, utilizando termos académicos (daqueles que os jornais gostam de usar para fazer as manchetes, sempre que se joga contra a Académica), creio que fomos Aprovados por Unanimidade no exame. Faltou aquele elemento adicional que confere alguma Distinção e Louvor
Era daqueles testes em que o importante era, mesmo, Passar.


ps: Nani e Jefferson forçaram o 5º amarelo. Volto a bater na mesma tecla da semana passada. Fazia mais sentido ter forçado para este jogo da Académica, em vez de ser para Arouca. Ou então intercalavam. São menos 2 jogadores titulares e muito influentes. O Sporting não pode arriscar assim tanto (visto que Slimani também está ausente).
ps2: Alvalade voltou a assobiar Nani. Há coisas que nunca irei compreender.
ps3: espero que este texto nao tenha sido muito ofensivo. A única coisa que me tranquiliza é que foi escrito aqui e não no Facebook.

13 comentários:

Koba disse...

Cantinho,
É raro isto acontecer na blogosfera porque tenho a mania de encontrar sempre um ponto para discordar ou acrescentar, nem que seja só porque sim :).
Mas não retiraria uma vírgula a esta análise, que para mim está perfeita.
Vai simplificar a minha uma vez que vou remeter para aqui.
Um abraço

Mike Portugal disse...

Concordo com o teu post. No entanto a assobiadela a Nani foi bem merecida naquele momento. Com oportunidade de fazer o 2-0 e matar o jogo, tendo William FRONTAL à baliza e solto de marcação, ele resolve chutar contra o GR em vez de passar a bola.

Foi merecido o assobio.

Jô disse...

Acho que o Nani e o Jefferson limpam no jogo da taça da liga de 4ª feira...

Koba disse...

Jô,
Se limparem na Taça da Liga, percebe-se. O que me diziam no estádio é que não dá para limpar na TL. Vou tentar confirmar.

Mike Portugal disse...

Não dá para limpar na taça da liga. Isso foi mudado esta época.

Leão de Alvalade disse...

Cantinho,

quase que me ri com a passagem das superstições. Houve uma altura da minha vida que até cheguei a pensar que era eu que dava azar. Infelizmente não era, porque teria sido mais fácil para o Sporting, bastava decretarem-me apresentações obrigatórias no dia do jogo numa qualquer esquadra.

Jô, os castigos são limpos nas competições onde são contraídos, à excepção dos vermelhos.

Koba disse...

Leão, então o Nani é duplamente culpado: ao falhar aquele 2º golo, não apenas nos deixou a sofrer até ao fim, como também impediu que ele próprio (não sei se Jefferson estava am campo ainda) pudesse forçar um vermelho que o tiraria de um jogo no qual, à partida, sabemos não vai jogar :)

Com 1-0, arriscar uma expulsão poderia ser fatal... Com 2-0, enfim, poderia dar para tentar.

Mike Portugal disse...

Koba,

Não percebi sobre o Nani. Querias que ele forçasse o vermelho para não jogar esta 4ª feira?

Mas isso não invalidava que, se ele visse o amarelo contra o Arouca, não poderia jogar contra o Benfas.

Koba disse...

Mike, tens toda a razão. Só funcionaria se o jogo da Taça da Liga fosse depois do Arouca (como sucedeu antes do jogo de Braga). Porque o 2º amarelo que dá expulsão não entra na contabilidade dos 5 amarelos, certo?

Mike Portugal disse...

Koba,

Pensa desta forma: se o jogador vê 2 amarelos no mesmo jogo então eles transformam-se em vermelho e deixam de existir.

Jô disse...

Ah, ok...

Tinha visto num lado qualquer que os jogadores cumprem o castigo no jogo imediatamente seguinte se a entidade que o organiza for a mesma.

Se isso fosse verdade, daria para o Nani e o Jefferson limparem os amarelos, uma vez que a Taça da Liga (ao contrário do que acontece com a Taça de Portugal) está sob a égide da Liga.

Em resumo, a Taça de Portugal não daria para limpara amarelos (só em casos de vermelho directo), mas a Taça da Liga já permitiria...

Anyway, como disse, isto foi o que eu li num lado qualquer.

Vale o que vale.



Cantinho do Morais disse...

Koba,

Obrigado pelas simpáticas palavras. Ontem lembrei-me muitas vezes da tua análise ao Adrien (aquilo do 14). Está perfeita e muito actual. Não quero ser injusto com ele. Gosto do Adrien, mas o nosso futebol pode e tem de evoluir e no plantel há quem o possa fazer (Martins, Mané, Nani, Gauld). Precisa de descansar. Aquele Adrien não é útil ao Sporting, como já o foi num passado bem recente.

grande abraço.


Mike,
os assobios ao Nani não surgiram só nesse lance (onde até eu me irritei, mas sem assobiar), até apareceram na 1ª parte. E, nesse lance que falas, ele nem sequer rematou. Aquilo não foi nada. Até posso tolerar aquilo, se naquela altura já tivessem 3 ou 4 lá dentro.


Jô,
agora que vos leio também tenho dúvidas. Mas acho que não limpam, ou então já o teríamos feito antes (acho eu). Aquilo que o Jefferson fez ontem, devia ter feito o Nani no Bessa, quando se percebeu a sua lesão.


Leão,
nem vou falar de superstições. Conheço tantas... cada uma mais surreal que outra. Enfim...
Vou-te contar outra (desta época): nós somos 3 amigos a ir à bola; de vez em quando, há um outro amigo nosso que consegue bilhete e também vai; nessa condição foi lá com Belenenses, P. Ferreira e Moreirense; resultado? 1-1, sempre!!! Começámos a implicar com ele. Agora sempre que vai leva mais alguém com ele. Foi assim ontem e com o Estoril. Parece que resultou (digo eu)...

um abraço.

António Gomes disse...

é só treinadores de bancada...

As variáveis são tantas que se as vossas sugestões fossem implementadas e não resolvessem, na semana a seguir cá estavam a opinar novamente com mais sugestões.

Mas enfim, nenhum é treinador, e o que temos faz erros, mas é treinador e não de bancada...