segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Quem se ficou a rir?


Uma pequena nota prévia:
a) Para se perceber melhor a minha opinião sobre o jogo de ontem, aconselho a leitura deste texto, e deste texto. Tudo o que eu penso, esta aí.


Dizem os "experts", e demais "paineleiros", que o empate 0-0 no Clássico, e o empate do SLB no Funchal deixou tudo na mesma na luta pela Liga 2017/2018.
Não concordo. Além de ter deixado o FCP na liderança (e, agora, com menos uma jornada por disputar), tirou a oportunidade do Sporting se isolar (tem, agora, menos 1 jogo para disputar contra este rival directo), e de deixar o SLB a 5 pontos.

FCP sai com a liderança reforçada, confiante (já foi a Braga, Vila do Conde e Alvalade), e consciente que, afinal, tem mais opções do que aquelas que se previa inicialmente (até o Sérgio Oliveira é opção!!). 

Já o Sporting, por outro lado, deixa o clássico com alguns sinais preocupantes (alguns deles que já vinham sendo revelados há algum tempo, logo não foram surpresas):
- Coentrão não podia, claramente, fazer 3 jogos seguidos (muito menos numa semana); Nunca pensei que, dos 3, iria "descansar" no mais importante de todos;
- Gelson, Dost, Bruno Fernandes e, até, Acuña, estão numa fase descendente (e fazem tanta falta... Porquê que Acuña jogou na Taça da Liga?)
- Jorge Jesus não confia em Alan Ruiz para jogos a "sério" (não joga na Champions e o seu tempo de jogo em derbys e clássicos é muito reduzido);
- Iuri Medeiros, ao fim de cerca de 130m de utilização, já foi riscado (a tolerância só serve para outros...);
- Ristovski só jogará em última necessidade (nada contra Piccini, mas tem de existir mais rotação);
- Jonathan serve para cerca de 10/15 jogos por época (ontem não era um deles...);
- Podence é dos poucos que pode mexer com o jogo, mas precisa de jogar mais do que 3m e, depois, sair dos 18;
- os nossa dupla de centrais é top, mas é só uma dupla... (qual é a verdadeira opção?);
- Gelson Dala não conta (16 golos em 20 jogos pela B...);
(vamos só imaginar, durante 1 segundo, o que seria desta equipa se William também tem sido vendido...)

Resumindo, a versão II do Melhor Plantel de Sempre afinal, também, é curta.

O jogo vinha numa altura péssima: muitos jogos; empate na última jornada; após um desgaste enorme contra o poderoso Barcelona.
O FCP deu tudo (nos primeiros 45m) para ganhar. Mais rápido, agressivo, pressionante, 1ªs e 2ªs bolas ganhas e magia de Brahimi. Foi valendo Patrício e alguma sorte. 
O Sporting raramente se encontrou. Escondidos, Gelson e B. Fernandes não faziam crescer a equipa, com William e Battaglia a não conseguirem se envolver no ataque. Jonatham perdia todas as bolas que lhe chegavam e, face ao inconsequente jogo do Sporting (e incapacidade de segurar o adversário), ficava no ar um só pensamento: "isto acaba quando eles marcarem".

A 2ª parte trouxe outro Sporting. Mais velocidade, William mais subido, laterais mais envolvidos e, acima de tudo, maior capacidade em ter a bola. Um único golpe podia mudar o jogo e manter a sorte da 1ª parte. B. Fernandes teve esse momento mas desperdiçou. Não era o dia dele (como não foi em Moreira de Cónegos nem com o Barcelona).
Dost continuava na sua única missão: saltar à 1ª bola. É incrível a má qualidade com que o tentamos servir. O tempo passa e estamos a desgastar o jogador e, pior, a desmotivá-lo. 
As bolas paradas (muitas, tantas para um jogo tão equilibrado), eram meras "festas" para a defesa do FCP. É a prova que Acuña já está ambientado ao Sporting.

A poucos minutos do fim, Conceição, como que a gozar, lança Corona (quem nos dera um Corona.. e no banco!). Precisou de 1 minuto para fazer aquilo que, neste momento, nenhum jogador do Sporting consegue fazer: perto do fim, tirou 3 jogadores do caminho, numa diagonal só parada à entrada da área. Livre. Havia Teles, Layun e Oliveira. O lance que, para mim, podia tirar já o Sporting da corrida pelo título. Mas, como em todo o jogo, estava lá Patrício...

Jorge Jesus continua a mexer mal, tarde e a levar poucas opções para o banco. Tal como com o Barcelona (apesar das boas entradas de B. César), será muito difícil mudar alguma coisa a partir do banco. Falta de opções? Não. O que falta é Confiança nas opções.
O que me deixa preocupado neste jogo é que ele esteve sempre controlado pelo FCP. Nunca lhes fizemos sofrer como eles nos fizeram a nós. Se pensarmos que contratámos quase 15 jogadores (eles contrataram 1), que JJ treina há mais de 2 anos e Conceição só há 3 meses, mais preocupado fico.

A nossa Liga é fraca. Conceição está a dar tudo para criar uma "almofada" (6/7 pontos), que lhe dê o conforto para gerir até ao fim. A partir daí, ninguém os pára. (porra, como me custam os pontos perdidos com o Moreirense e a displicência com que se abordou esse jogo)

3 semanas até ao próximo jogo da Liga. É tempo para restaurar confiança em todos e dar descanso a quem precisa. Infelizmente, Gelson e B. Fernandes vão até à Selecção. O mesmo com o contingente estrangeiro titular (Acuña à cabeça). Felizmente há o jogo em Oleiros para a Taça de Portugal. Terão de descansar aí.

Nada está perdido. Mas a verdade é que não ficou mais fácil.
Jesus tem de querer vencer pelo Sporting. A confiança que todos precisamos, terá de começar por aí.

7 comentários:

Liondamaia disse...

Vá lá, do mal o menos: esta derrota valeu um ponto!

Cantinho do Morais disse...

Liondamaia,

é como o Campeonato de Andebol.

RMSCP disse...

Totalmente descrente para o que resta da época. Jorge Jesus recusa-se a tentar por a equipa a jogar futebol. Saudades de 2015-2016. De muito longe, a melhor época do Sporting em tempos recentes (mesmo tendo ganho apenas uma Supertaça). Isto que nos tem sido presenteado não é nada.


Em relação ao jogo, foi mais do mesmo. Sem inspiração individual, o Sporting é uma nulidade ofensivamente. Extremos sempre por fora e laterais que não têm a qualidade necessária para um clube como o Sporting. Meio-campo a 2 em que um dos jogadores tem não consegue acrescentar nada quando temos a bola. Felizmente, nem tudo é mau, pois somos competentes defensivamente mas nenhuma equipa no mundo consegue aguentar 90 minutos só a defender sem cometer erros.

Na 2ª parte conseguimos equilibrar melhor a equipa muito graças à troca de lado dos extremos ("forçando-os" a jogar por dentro). Mesmo assim, pouco ou nada conseguimos criar já que, por incrível que pareça após 1001 contratações, continuamos com uma falta de criatividade imensa no ataque. Podence não ser titular é estúpido. Entrar aos 89min é demência.

Exibições desastrosas de Jonathan e Battaglia. Incrível o número de bolas que perderam sem qualquer tipo de pressão.

Gélson e Acuña também estiveram muito mal. O Gélson, depois da sua magnífica exibição frente ao Mónaco na pré-época, esperava muito mais dele. Não sei se são ordens do treinador mas a jogar sempre pela linha é um jogador banal. Em relação ao Acuña, só tenho a dizer que continuo sem perceber como o Sporting gasta 10M num jogador assim.

William, Mathieu e Patrício estiveram bem com o último em destaque. William tem feito um inicio de época a um nível muito elevado e é impressionante como a equipa não consegue tirar partido disso.


PS: Faz-me impressão como se continuam a construir plantéis no Sporting. Sempre a ignorar-se qualidade apenas para esbanjar dinheiro em jogadores piores ou quanto muito iguais aos que já lá estão. Gauld, Geraldes, Esgaio, Matheus e Bryan (mencionando apenas os casos deste ano) tinham qualidade para estar no plantel e ser opções frequentes (ao contrário de outros que lá estão).

PS2: Iuri parece que já está riscado. Em Janeiro, já vamos buscar um brinquedo novo.

Cumps

Anónimo disse...

Muita coisa está a acontecer que me deixa optimista em relação ao título.
Temos ganho os jogos fora em campos ranhosos.
Temos tido estrelinha em alguns.
Os poucos erros da arbitragem nos nossos jogos tem sido a nosso favor.
Não sofremos golos ao primeiro remate do adversário.
Vencemos em Atenas para a Champions.
Matamos uma série de borregos.
Não será fácil vencer este campeonato e vem aí o inverno e as lesões. Mas é para todos.
Concordo. Temos de rodar os jogadores para que todos sejam opção, mas também para construir o espírito de equipa.
SL
JHC

Ulisses Soares disse...

Penso que com o Doumbia conseguiamos ter mais bola na primeira parte. Faz muita falta alguem que possa procurar a profundidade e que de essa solucao na primeira fase de construcao. Lembro-me que, com Slimani, esse tipo de jogadas eram muito procuradas. E por isso tambem Bas Dost fica um corpo estranho neste tipo de jogos. Doumbia traria outras coisas e muita falta fez e bons resultados nos tem dado nos jogos mais a doer.

Ps- nao tenho acentos no teclado, desculpa por isso!

Cantinho do Morais disse...

RMSCP,

muitos pontos em comum com o teu comentário.
Realmente, o que mais me choca é a nossa incapacidade atacante. É com muita dificuldade que chegamos ao último terço do campo e dispostos a criar perigo. Ou temos pouca gente, ou jogamos muito por fora, ou falhamos demasiados passes mas, acima de tudo, somos lentos e previsíveis.
Temos estabilidade defensiva e devíamos estar ganhar (mais) jogos por 1-0 ou 2-0.
Quantos aos PSs, infelizmente, nada a acrescentar. Está aí tudo.
Quando leio que vamos buscar mais alguém para o lugar de B. Fernandes, só me arrepio a pensar no Geraldes e Gauld, e nos minutos que ambos já podiam ter feito (dando descanso e competição a B. Fernandes).
E sim, o Iuri já foi...

SL

Cantinho do Morais disse...

JHC,

Obrigado pelo espírito positivo. A minha costela verde (de esperança, do Sporting), quer que eu acredite que vamos melhorar muito.
O lado mais racional olha para os erros do passado e vê (quase) tudo igual em JJ.
Muito importante o que diz na rotação da equipa e espírito de grupo.

SL



Ulisses Soares,

É verdade, lembrei-me muito de Slimani (e Adrien) neste jogo. Doumbia podia trazer essa vertente de procurar a profundidade. Mas, agora, o que temos é um Dost desgastado e desmotivado. JJ tem de o recuperar (rapidamente).

SL